Autor : Peppers segunda-feira, 4 de março de 2013


Pokémon - O Nascimento de Mewtwo.
(Capítulo 02 - O Nascimento de Mewtwo)


Mew: Mew... Mew... Mew.

Giovanni: Há vinte anos atrás... O Pokémon miragem, Mew, providenciou-nos um vislumbre da sua existência. As buscas continuaram, mas apesar de tudo, ninguém sabia onde estava... E o silêncio continuou.

Miyamoto: (Na Cordilheira dos Andes, enquanto se ouve uma tempestade) Eu sou a Miyamoto-chan e nunca vou desistir! Afinal, a minha filhinha já está na escola primária. Isso custa dinheiro. Onde é que esta você miragem?, Mew?! Aparece! (Sopra vento de tempestade, depois para).

Giovanni: (Desliga a cassete com a história de Miyamoto e começa a narrar) Dezoito anos depois disso... Eu, Giovanni, tinha sucedido à minha mãe como líder da Equipe Rocket. O nosso negócio clandestino abrange todos os Pokémon. Somos a Equipe Rocket de qualquer Pokémon. Não fazemos exceções quanto a escavar e roubar Pokémon fossilizados. E o maior local de escavação e pilhagem da Equipe Rocket era nas regiões montanhosas da América do Sul.

Escavador1: Uau... Mas que diabos é aquilo?

Giovanni: Era um fóssil, com menos de um centímetro de comprimento. (Ouve-se um som reluzente no fundo)

Escavador2: Para um fóssil, brilha bastante...

Escavador3: Oh! Isto é...! (O brilho do fóssil relampeja sobre os escavadores)

Dr. Fuji: (Ouvem-se ondas do mar) O meu nome é Doutor Fuji. Aquele fóssil foi levado em completo segredo para o meu laboratório secreto em New Island.

Computador: (No laboratório em New Island) Resultado da análise: É o fóssil de uma pestana de algum tipo de Pokémon. A espécie de Pokémon é desconhecida. Mas quando tentamos vocalizar o que podemos a partir do DNA...

Mew: (Voz electrónica) Mew. Mew. Mew. Mew.

Dr. Fuji: Mew? O que é isso?

Computador: Há um registo na História.

Dr. Fuji: O que é?

Computador: É a voz de um Pokémon miragem que se diz originar nas selvas da América do Sul.

Mew: Mew... (Voz electrónica) Mew.

Dr. Fuji: O Pokémon miragem, Mew?

Giovanni: (Aparece no laboratório) Mew, hmm? Consegue recriar a miragem a partir da análise deste fóssil?

Dr. Fuji: Senhor Giovanni. Se me perguntarem, “Consegue recria-lo?” Eu responderei que já fui bem sucedido com outros Pokémon.

Dr. Fuji: Se fizer uma cópia de um Pokémon a partir dos genes, então temos dois Pokémon.

Giovanni: Duas vezes o lucro.

Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia dos genes de um Squirtle...

Dr. Fuji: Temos dois Squirtles.

Giovanni: Fazemos dinheiro.


Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia com os genes de um Charmander...

Dr. Fuji: Temos dois Charmanders.

Giovanni: Mais lucro.

Dr. Fuji: Fazemos uma cópia de um Bulbasaur...

Dr. Fuji: Aumenta para dois...

Giovanni: Até uma melancia sem sementes pode criar uma ou duas flores. 

Dr. Fuji: Copiamos, copiamos, e copiamos outra vez.

 Giovanni: Um, dois, de dois vamos a quatro, de quatro a oito, oito vezes dois são dezasseis... Trinta e dois. Faz-se uma fortuna num piscar de olhos.

Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia com os genes de um Pikachu...

Dr. Fuji: Mais e mais, é matemática de ratos. (o Pikachu é um Pokémon rato. Os ratos reproduzem-se depressa, daí “matemática de ratos”)

Giovanni: É um cofre de tesouro brilhante...

Dr. Fuji: Se fizermos uma cópia com os genes de um Meowth...




 Dr. Fuji: E o Sol brilhará.

Giovanni: Não preciso disso. 

Dr. Fuji: (Suspira)

Giovanni: O que se passa, Doutor?

Dr. Fuji: Pergunto-me se isso se aplicará a um Pokémon miragem.

Giovanni: O que quer dizer?

Dr. Fuji: Não é que não tenham havido fracassos.

Giovanni: Não podemos ter lucro se tivermos medo de falhar.

Dr. Fuji: Pelo menos, ainda não conseguimos uma cópia de um humano.


 Giovanni: Não preciso de cópias de humanos. Aumentar o número de humanos não nos traz dinheiro. Os Pokémon é que fazem dinheiro. (Rir) E mais, diz-se que a miragem, Mew, é o Pokémon mais raro do mundo. Se for recriado neste laboratório, e estiver na nossa posse... Mesmo se for uma cópia, faremos uma fortuna. Mesmo se for uma falsificação, vamos fazer uma fortuna. (Rir enquanto se vai embora)

Dr. Fuji: (Ouve sons no laboratório) Não estou a continuar esta investigação só para fazer cópias de Pokémon. (Fala com a Amber) Amber... Consegue me ouvir? Minha filha querida. Consegues ouvir a minha voz? (Ouvem-se bolhas e começa o flashback)

Amber: (Rir) Papá! Papá! Papá, porque é que estás triste?

Dr. Fuji: Amber, é porque sou o teu pai. A tua mamã me deixou, e eu já não aguento mais. Estou tão só. Bem, isso vai acontecendo, mas, se aquele acidente... (Acidente de carro – sirene de ambulância)

Dr. Fuji: Amber, estás bem? Amber! Amber! Volta!

Amber: Desculpa, Papá, não posso voltar.

Dr. Fuji: Não, eu quero que volte comigo. Não quero ficar sozinho...

Dr. Fuji: Amber, estás bem? Amber! Amber! Volta!

Amber: Desculpa, Papá, não posso voltar.

Dr. Fuji: Não, eu quero que voltes comigo. Não quero ficar sozinho.

Amber: (Rir) Não há nada a fazer. Provavelmente vou transformar-me numa estrela.

Dr. Fuji: Se for como o Cometa Halley, pode voltar.

Amber: Nada disso...

Dr. Fuji: Oh... Se não vai voltar... Não me interessa se for uma cópia ou uma falsificação feita a partir dos teus genes... Só não me deixe sozinho!

Amber: Isso é complicado.

Dr. Fuji: É, o papá está metido numa complicação. (Acaba o flashback) Quer dizer, as cópias de humanos só conseguem viver em tubos de teste, e só duram quatro anos.

Amber: Então não tentes fazer o impossível.


Dr. Fuji: É verdade, é impossível. Não importa quantas vezes tente, o máximo são quatro anos. Mas percebi uma coisa... Que os Pokémon têm uma força vital invulgar... Já sei que, comparadas com as cópias de humanos, as de Pokémon conseguem viver mais tempo. Quero descobrir o segredo da vida dos Pokémon. E quero usar esse segredo para fazer com que vivas mais tempo.

Amber: A sério, não tentes fazer o impossível. Está bem? Papá?

Dr. Fuji: Não, vou fazer a experiência tantas vezes quanto for preciso... Amber, finalmente arranjei uma pestana de um Pokémon miragem. O nome dele é Mew.

Amber: Mew?

Dr. Fuji: Diz-se que o Mew é o Pokémon mais raro do mundo. De acordo com a lenda, diz ainda que tem uma força vital que lhe permite viver para sempre. Se eu copiar este Mew, e descobrir o segredo da vida dele... Talvez então você também possas ter essa força vital. Amber, quero que consigas chegar a viver como adulta e que fique comigo até ficar velha. Nascer e viver a vida é maravilhosa. É por isso que quero que voltes, Amber.

Amber: Estou vendo. Isso é complicado.

Dr. Fuji: (Ouve-se uma gota de água) Um mês depois disso... Nasceu o Mewtwo, baseado nos genes que tiramos da pestana do Mew (agora a história sendo narrada por Dr.Fuji).

Amber: (Excitada) Oh, é tão fofinho! Então este é o Mewtwo... Posso ser a mamã dele? Posso ser a irmã dele? Não me importava de viver se tivesse um filho assim. Olá, Mewtwo!



Continua no próximo capítulo... 
--------------------------------------------------------------

Nota do autor: Essa é uma história real sobre o surgimento do tão misterioso Mewtwo. Ganhou a história verdadeira através de uma rádio-novela e foi traduzida pelo site http://passaaiomicro.blogspot.com.br, e adaptado em fanfic por mim e para vocês, espero que tenham gostado e que acompanhem os próximos capítulos.


Glossário:
Vislumbre - Reflexo ou fraco clarão de luz.

Pilhagem - O que resulta do que se pilhou.

Reluzente -  Que reluz: cintilante, resplandecente.

Pestana -  Pêlo que nasce nas bordas das pálpebras; cílio, celha.

 Invulgar - Que não é vulgar; incomum, raro, excepcional.

Leave a Reply

Deixe abaixo sua opinião!

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

- Copyright © Poké-Fics 308 - Hatsune Miku - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -